Incêndios ambientais em Quedas do Iguaçu tomam grandes proporções

De acordo com o deputado estadual Coronel Lee a situação é gravíssima e mais de 100 alqueires já foram devastados

Por Redação 01/10/2019 - 19:02 hs
Foto: Imagens Ilustração/Agência Brasil

Makelen Rotta

Os incêndios que atingem áreas ambientais no município de Quedas do Iguaçu, no sudoeste do Paraná, continuam preocupando moradores e autoridades. Recentemente, a cidade foi atingida por uma onda de fumaça, proveniente das queimadas. O tempo seco e a falta de chuva tem contribuído para a disseminação de novos focos de incêndio, mas conforme relatos da população, muitas queimadas têm sido intencionais.

No último mês, uma área de mais de 550 quilômetros quadrados foi atingida pelo fogo e segundo informações dos bombeiros, haviam mais de 600 focos de incêndio contabilizados em área florestal. De acordo com a Defesa Civil de Quedas do Iguaçu, o combate aos incêndios estão sendo realizados em torno da área urbana ou nos locais em há mais facilidade de acesso. Porém, em muitos locais não é possível intervir por conta da dificuldade de acesso e devido a ocupação do Movimento Sem Terra (MST). “Nosso trabalho está em torno de defender edificações, maquinários, animais e residências, apagando os focos de incêndios”, relata o Sargento Antônio Falkembak.

O deputado estadual Coronel Lee (PSL), desde o início do mês de setembro, vem alertando e buscando soluções. “A situação em Quedas do Iguaçu está gravíssima. São mais de 100 alqueires devastados, o que ocasionou muita poluição”, relata. “Para acabar com esta situação, movimentamos várias documentações e fizemos reuniões diretas com o Governador do Estado, Ratinho Júnior, que foram muito bem encaminhadas. Os levantamentos da Polícia Militar já foram feitos e envolvem o 4º e o 5º Comando Regional. Também já foram efetuados levantamentos aéreos e terrestres com informações. Então, o planejamento foi executado e estamos aguardando o posicionamento do governador”, explica.

Para o deputado, as queimadas tratam-se de uma represália. “São atitudes típicas de covardes que ficam ameaçando as pessoas de bem e tomando a terra dos outros. É triste falar que estão desmatando, queimando áreas florestais, matando bichos e acabando com a fauna, mas agora o MST terá que lidar com o poder estatal”, afirma. “Além disso, a Secretaria de Segurança do Estado confirmou que nos próximos meses será desencadeada uma grande operação de reintegração de posse. Então, se a esquerda e o Movimento estão duvidando, podem acreditar, pois estamos chegando”, acrescentou o deputado Lee.

Audiência pública

Coronel Lee aproveitou para deixar um convite para a população participar de uma audiência pública em Cascavel. “Pessoas de bem, membros de cooperativas, produtores rurais, estão todos convidados para participar desta audiência em que estarão presentes juiz, delegado federal, entre outras pessoas e trataremos sobre invasões e reintegrações de posse. Após essa ação, fecharemos nosso relatório e encaminharemos ao governador do Estado”, finaliza. A audiência acontecerá no próximo dia 3, a partir das 9 horas, no auditório da Acic.