Saúde estuda alternativas para que crianças não fiquem sem leitos do SUS

Pelo menos 35 crianças aguardam por vagas na Central de Leitos da Macrorregião

Por Redação com assessoria 02/06/2022 - 10:06 hs
Foto: Assessoria
Saúde estuda alternativas para que crianças não fiquem sem leitos do SUS
Saúde estuda alternativas para que crianças não fiquem sem leitos do SUS

Por ser referência regional em pediatria do SUS (Sistema Único de Saúde), Umuarama centraliza o atendimento de mais de 30 municípios. E apesar de disponibilizar mais de 1 mil  consultas de média e alta complexidade por mês no Centro de Referência Materno Infantil (CRMI), nessa quarta-feira (1°) ao menos 35 crianças aguardavam por vagas na Central de Leitos da Macrorregião. A Secretaria Municipal de Saúde estuda alternativas para minimizar o problema.

O secretário de Saúde, Herison Cleik da Silva Lima, conta que existem 40 crianças internadas hoje, por meio de convênio com o SUS. “Conforme depoimentos dos médicos pediatras que atendem nas 23 unidades básicas de saúde do município, este ano estamos em uma situação diferenciada quanto a infecções respiratórias: temos observado um número acima do esperado, além de casos de covid-19 – que em maio foram 37 crianças”, comenta.

Ele acrescenta que o aumento dos casos de influenza (gripe), antes do período que normalmente ocorre, também está contribuindo para a lotação dos leitos infantis. “Nossa atenção total é com relação às síndromes respiratórias, para que elas não se agravem. Equipes de profissionais de saúde têm alertado aos pais, responsáveis e cuidadores para que deem atenção especial aos cuidados essenciais dessas crianças”, aponta.

Segundo o secretário, neste momento, mais do que nunca, é fundamental manter o distanciamento social e evitar aglomerações, deixar ambientes bem ventilados, com janelas e portas abertas, manter as mãos limpas com lavagem ou uso do álcool em gel, higienizar os brinquedos das crianças, não compartilhar objetos pessoais (talheres, toalhas, pratos, copos e garrafinhas) e utilizar máscaras estão entre as principais orientações.

O credenciamento de novos leitos – tanto de enfermaria quanto de UTI – é de exclusiva responsabilidade da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), que por sua vez também tem o Ministério da Saúde como órgão regulamentador. “O Norospar, onde funciona o nosso Centro de Referência Materno Infantil, existem 10 leitos de enfermaria, dois leitos de UTI pediátrica, 10 leitos de UTI neonatal e mais cinco leitos de unidade semi-intensiva neonatal, totalizando 27 leitos credenciados para o atendimento de pacientes do SUS. E tudo está ocupado hoje por crianças de toda a região”, detalha, acrescentando que está em contato com a Regional de Saúde para estudar alternativas para que ninguém fique sem cuidado médico na cidade.