UPA Brasília atenderá apenas casos suspeitos de Covid-19 a partir desta quinta-feira

Mudança no fluxo de atendimento à saúde pública em Cascavel acontece para melhorar o atendimento à população. UPA terá estrutura de um mini-hospital

Por Redação 24/02/2021 - 18:18 hs
Foto: Assessoria

A Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) divulgou, nesta quarta-feira (24), um novo fluxo de atendimento à saúde pública em Cascavel por conta o aumento dos casos de Covid-19 e o esgotamento dos leitos de UTIs na macorregional. A medida tem como objetivo melhorar o atendimento à população.

Entre as medidas anunciadas pelo secretário de Saúde Thiago Setefanello, está a mudança na UPA Brasília, que a partir das 7h desta quinta-feira (25) passa a atender exclusivamente pacientes com suspeitas de Covid-19 acima de 14 anos. A unidade foi preparada e terá a estrutura de um mini-hospital, com capacidade para 20 leitos de enfermaria e seis no suporte semi-intensivo. O atendimento será ininterrupto. “A velocidade e capacidade de atendimento será conforma a demanda”, explica Stefanello.

A UPA Tancredo, que até então atendia pacientes com sintomas respiratórios de até 14 anos, terá um consultório com um médico para atender pacientes adultos com outras queixas, que não seja suspeita de Covid-19. O secretário chama a atenção que  por ser apenas um médico para atendimentos de sintomas não respiratórios, poderá haver demora no atendimento. “As pessoas terão que ter paciência”, diz.

Já a UPA Veneza deixará de atender pacientes com suspeita de Covid-19 para fazer frente às outras demandas. Isso também deverá aumentar o tempo de espera.

As três Unidades Básicas de Saúde (UBSs) exclusivas para sintomas respiratórios continuarão atendendo das 7h às 22h. O atendimento exclusivo acontece nas unidades do Floresta, Santa Cruz e Nova Cidade. As demais unidades continuam atendendo normalmente por agendamento, inclusive casos respiratórios que possam aguardar.

Aumento dos casos

As medidas foram adotadas após o aumento dos casos de Covid-19 nas últimos dias. “Precisamos fazer essas adequações para atender melhor a população nesse momento que estamos passando de colapso na saúde pública e também de enormes dificuldades no setor privado”, declara o secretário.

Na quarta-feira da semana passada, por exemplo, havia 80% de ocupação dos leitos de UTI na macrorregião e 70% em Cascavel. Dois dias depois havia 100% de ocupação.

Na manhã desta quarta-feira (24), a Saúde contabilizava 25 pacientes na macorregião aguardando por leito de UTI Covid e 51 a espera de uma enfermaria. Só nas UPAs de Cascavel existem 21 pacientes suspeitos ou confirmados por coronavírus que estão clicados aguardando por vagas em hospitais. Desse total, quatro estão intubados esperando por um leito de UTI.

Assessoria