Telemedicina auxilia profissionais da saúde em período de pandemia

No HUOP, as equipes de saúde utilizam a telemedicina como meio de comunicação

Por Redação 18/09/2020 - 16:54 hs
Foto: Assessoria

 

Ellen Picussa

A pandemia do novo coronavírus exigiu que a medicina se adaptasse. Em meio ao isolamento social, medida importante à prevenção da Covid-19, a telemedicina surgiu como uma alternativa para a área da saúde.

A telemedicina se trata de um recurso tecnológico que possibilita a comunicação entre médicos e pacientes, tornando possível a transmissão e o compartilhamento de informações e exames médicos à distância.

A fim de evitar aglomerações em hospitais e unidades de saúde, o Ministério da Saúde publicou, no mês de março, a portaria 467/20, visando regulamentar e operacionalizar as medidas de enfrentamento da emergência de saúde pública.

A portaria estabelece que ações de telemedicina de interações à distância podem contemplar o atendimento pré-clínico, “de suporte assistencial, de consulta, monitoramento e diagnóstico, por meio de tecnologia da informação e comunicação, no âmbito do SUS, bem como na saúde suplementar e privada”.

Além disso, o documento estabelece que o atendimento deve ser efetuado diretamente entre médicos e pacientes, garantindo o sigilo e a segurança das informações e seguindo os quesitos determinados pela portaria.

No Hospital Universitário do Oeste do Paraná (HUOP), em Cascavel, a telemedicina tem uma função a mais: a comunicação entre profissionais da saúde, além de aproximar familiares e pacientes, levando em conta que, no momento, as visitas são restritas.

O coordenador da Ala Covid-19, Gabriel Kreling, explica que a telemedicina é realizada para visitas multidisciplinares e discussões entre médicos e especialistas. Diariamente, quem utiliza a modalidade é a equipe multidisciplinar, muitas vezes com a participação de residentes, que utilizam a experiência como aprendizado.

Outra vantagem do uso da telemedicina na Ala Covid-19 é a diminuição da circulação de pessoas por ali, diminuindo o risco de contaminação e também o uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), já que todos os médicos podem acessar prontuários e exames da mesma maneira. Trocas de informações com equipes externas, de outras instituições, também estão sendo realizadas por meio da telemedicina.

O coordenador do Pronto Socorro do HUOP, Thiago Simões Giancursi, explica que é a favor da maior utilização da telemedicina após a pandemia, afirmando que esta tecnologia trouxe apenas benefícios e resultados positivos. Dentro do hospital a telemedicina é móvel, podendo ser usada até mesmo no Centro Cirúrgico para conferências, pretendendo trazer novos conhecimentos aos residentes.

Antes da pandemia da Covid-19, a telemedicina já era utilizada no HUOP, por algumas especialidades médicas registradas da Rede Nacional de Pesquisa e Rede Universitária de Telemedicina.