Lousa digital beneficia 120 alunos da Apae de Capitão Leônidas Marques

Sanepar adquire a ferramenta com recursos da coleta do óleo de cozinha descartado

Por Redação 05/11/2019 - 17:19 hs
Foto: Assessoria Sanepar

A Sanepar fez a entrega de uma lousa digital para a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Capitão Leônidas Marques. A ferramenta tecnológica vai contribuir para o aprendizado e o desenvolvimento dos 120 estudantes da escola especializada e vai permitir que os professores de todas as disciplinas utilizem o equipamento para pesquisa e estímulo aos alunos.

A doação foi feita pela gerente regional da Sanepar, Rita Ivone Camana, e por representantes dos empregados na sexta-feira (01), na presença do prefeito Cláudio Quadri, da diretora da Escola, Rosane Sobottka, do presidente da Apae, Alaor Zeniewski, professores e alunos da instituição.

A lousa digital foi adquirida com recursos da venda do óleo depois de usado no preparo dos alimentos. A gerente Rita explicou que em 2017 foi firmada parceria entre a Sanepar e as Apaes da região para ampliar a coleta e reverter o resultado em lousas digitais. “O óleo na rede provoca entupimentos e extravasamentos de esgoto nas ruas e vias públicas ou refluxo para dentro dos imóveis. Nas nossas estações compromete a eficiência do tratamento, e o descarte em outros locais pode ainda contaminar o meio ambiente e os mananciais de abastecimento”, explicou a gerente.

Este foi o quarto equipamento entregue para as Apaes da região Oeste. Outras três já foram entregues em Corbélia, Matelândia e Céu Azul. A primeira lousa foi para a Apae de Cascavel, adquirida pelos empregados da Sanepar. Rita complementou que o projeto traz benefícios para a Sanepar com economia e redução de custos. “Em contrapartida, com os recursos da venda do óleo revertemos em benefício social com as lousas digitais, que permitem a inclusão social dos estudantes”, completou.

O prefeito Quadri se mostrou entusiasmado com o resultado do projeto. “São atos como esse que tornam a sociedade melhor”, destacou. Disse ainda que a lousa é uma ferramenta fantástica, que vai contribuir para o aprendizado dos alunos. “É a tecnologia chegando cada vez mais perto das pessoas”, completou.

O prefeito destacou a colaboração da comunidade que arrecadou o óleo, e lançou um novo desafio para aumentar o volume arrecado. “Temos que, no mínimo, duplicar a quantidade que foi arrecadada para poder transformar esse óleo em novas lousas digitais.”

A coleta do óleo faz parte do programa “Se Ligue nessa ideia, Sem óleo na rede” que visa evitar descarte do óleo em pias e ralos e que vá parar nas redes coletoras e estações de tratamento de esgoto.

Mesmo ainda sem ter serviço de coleta e tratamento do esgoto, Capitão Leônidas Marques entrou na parceria entendendo que o óleo descartado inadequadamente pode trazer prejuízos ambientais para a cidade e o município.

A Apae de Capitão Leônidas Marques atende 120 alunos. A lousa digital oferece maior interatividade e possibilita que as pessoas com deficiência brinquem, joguem e pintem mesmo com alguma dificuldade motora. A diretora da Apae afirmou que o equipamento muda a realidade da escola. “É uma ferramenta alternativa e interdisciplinar que vai proporcionar algo diferenciado, tanto para o aluno quanto para o professor”, explicou.

Texto: Assessoria Sanepar