Futebol Clube Cascavel: um time em ascenção

Em 14 anos, o Cascavel deu muito orgulho para a cidade e está caminhando para trazer mais alegria aos torcedores

Por Ana Martinazzo 04/08/2022 - 16:58 hs
Foto: Daniel Malucelli/Cascavel
Futebol Clube Cascavel: um time em ascenção
Jogo contra o Athletico Paranaense pela última rodada do estadual

Uma cidade que sempre foi conhecida pelo automobilismo, passou a ser admirada pelo futsal e agora está a caminho de ser reconhecida pelo esporte mais amado do mundo: o futebol.

O Futebol Clube Cascavel criado no dia 16 de janeiro de 2008, considerado ainda “bebê” no mundo esportivo, está dando passos importantes em sua caminhada, como todo time da elite do futebol brasileiro e mundial que já passou por situações parecidas como a do Cascavel atualmente.

Algum tempo depois da sua criação, em 2014, disputou a divisão de acesso do Campeonato Paranaense, onde foram campeões e assim, em 2015, pela primeira vez disputou a elite do paranaense.

De 2015 até o ano de 2022, vários times já estiveram na primeira divisão do campeonato estadual, alguns times hoje em dia nem disputam campeonatos profissionais devido à má gestão de diretoria. Já o Cascavel, se manteve com um ótimo trabalho extracampo e quatro anos após o acesso a série A do estadual, disputou contra o Coritiba a semifinal do primeiro turno em 2019, modo de classificação daquele ano. Neste ano começou um pesadelo para o Cascavel: os pênaltis, algo que assombra o time até hoje, pois foi nesta etapa em que foram eliminados. No entanto, para um time do interior do estado, o Cascavel chegou longe.

O ano de 2019 foi marcante para a Serpente Aurinegra que conseguiu um passo importante a nível nacional, o acesso para a Série D do Campeonato Brasileiro.

Aquele time que almejava o acesso para a primeira divisão do campeonato, viu que era possível sonhar com a classificação para a fase final da competição.

No ano seguinte, 2020, o mundo inteiro foi afetado pela pandemia de Covid-19 e tudo foi paralisado, inclusive o futebol. Após meses sem jogar, o Cascavel conseguiu chegar a mais uma semifinal do Campeonato Paranaense, desta vez contra o Athletico Paranaense. O resultado não foi o esperado com a elimininação, mas cada vez mais o Cascavel se consolidava na briga pelo título.

Com a terceira melhor campanha geral do Paranaense de 2020, conseguiram a chance de disputar um dos campeonatos mais concorridos e estimados no país, a Copa do Brasil.

Para iniciar a caminhada no cenário nacional na Série D, em 2020 galgou mais um degrau importante, se classificando para a primeira fase do mata-mata. Logo, enfrentou a equipe que meses depois seria campeã da disputa, o Novo Horizontino. Após uma vitória dentro de casa, no jogo da volta, acabaram sendo derrotados e se despediram da competição cedo.

Em 2021 a diretoria estabeleceu algumas metas: chegar à final do Paranaense, passar da primeira fase da Copa do Brasil e conseguir avançar na Série D. O ano começou com uma das metas cumpridas: a Serpente Aurinegra superou o Figueirense e se classificou para a segunda fase da Copa do Brasil, onde enfrentaram outro time catarinense, o Avaí, e assim deu adeus a competição após perder por 2 a 0. Mas, como um estreante, o resultado foi considerado bom, pois além de chegar a segunda fase da competição, arrecadou uma boa quantia para o orçamento.

No campeonato estadual, o Cascavel se superou, ultrapassou a Covid e se tornou um dos favoritos ao título. Fez uma campanha excelente durante toda a competição, com apenas 14 jogadores à disposição do técnico Tcheco na semifinal. Assim, eliminou o Athletico Paranaense e chegou à final contra o Londrina.

Além de ter sido a primeira final do Cascavel na primeira divisão do paranaense, este jogo marcou a volta do público ao estádio depois de um ano e meio.

Novamente o fantasma dos pênaltis assombrou o time cascavelense e o Londrina foi campeão daquela temporada. A Serpente Aurinegra ficou como vice-campeã.

Já na Série D do Brasileirão, o Cascavel fez uma bela campanha na fase de grupos, mas acabou sendo eliminado pelo Cianorte na primeira fase do mata-mata.

Para o ano seguinte, 2022, as expectativas foram mais altas, com objetivos claros: chegar à final do paranaense novamente, avançar até a terceira fase da Copa do Brasil e o acesso para a Série C. Porém, nenhum dos objetivos foram alcançados, não por falta de dedicação, mas sim por alguns erros pontuais que foram cruciais para a eliminação precoce nas quartas de finais do estadual para o Maringá; a derrota na segunda fase da Copa do Brasil para o Tocantinópolis e, mais uma vez, eliminação nos pênaltis para o Paraná Clube, pelo terceiro ano seguido na primeira fase do mata-mata da Série D.

Para 2023 o Futebol Clube Cascavel passará por uma renovação para alcançar suas metas, com um trabalho árduo da diretoria que já está movimentando jogadores para não ficarem parados até janeiro do ano que vem, quando inicia o campeonato estadual. Para isso, jogadores estão sendo emprestados para equipes que ainda estão em outras competições.

EXTRACAMPO

Fora das quatro linhas, o Cascavel iniciou projetos sociais como a Fábrica de Cidadãos Cascavelenses, construiu um Centro de Treinamento para as categorias da base, Sub-15 e Sub-20, transformando-se em espelho para vários clubes com o CT profissional, desde a sua gestão até a infraestrutura.

Em vários lugares é possível encontrar alguém com a camisa do Cascavel. Em 2020, o clube chegou à marca de 50 mil camisas vendidas. No ano seguinte, o número passou para mais de 60 mil, contabilizados de janeiro a novembro. Em 2022, as vendas surpreenderam e apenas de janeiro a julho foram vendidas 50 mil camisas. O manto aurinegro é enviado para o mundo inteiro, tendo camisas em diversos países como Estados Unidos, Colômbia, Dubai, Inglaterra, entre outros.

Devido a política de preços populares, quem comparecer ao estádio nos jogos do Cascavel com a camisa do time, paga meia entrada. Outros clubes estão adotando esta campanha. Os ingressos saem a partir de R$ 20,00 e as camisas a partir de R$ 49,90.

Ao longo dos anos, o cidadão cascavelense começou a criar a cultura de ir ao estádio. Na final do paranaense de 2021, com restrição para 5 mil pessoas no Olímpico devido a pandemia, 3.681 pessoas assistiram o time ser vice-campeão. Na classificação em cima da Ponte Preta pela Copa do Brasil deste ano, mais de sete mil assistiram este jogo histórico. Na última rodada do paranaense, mais de 13 mil pessoas acompanharam o jogo contra o Athletico.

Entretanto, na Série D, devido as últimas derrotas sofridas, o número de torcedores diminuiu consideravelmente nas partidas realizadas no Olímpico Regional.

A questão é que o Futebol Clube Cascavel é uma potência em crescimento e uma grande aposta para os patrocinadores, jogadores, equipe técnica, turismo esportivo, imprensa e comércio, ou seja, uma “vitrine” do futebol do oeste paranaense.

A Serpente Aurinegra está subindo degrau por degrau para atingir voos mais altos daqui uns anos, algo que não é fácil, mas que vem sendo trabalhado pela diretoria e apoiadores do time que querem, assim como os torcedores, ver a cidade de Cascavel ser reconhecida nacionalmente, não só por revelar jogadores, mas sim, por conquistar títulos.

Para isso, é preciso paciência e muito amor pelo esporte. Em 2023 a batalha começa novamente, serão jogos emocionantes, que precisarão da torcida e de jogadores que se entreguem em campo. Além disso, é preciso contar com um pouquinho de sorte nos jogos decisivos.

Por enquanto, o grupo trabalha fora de campo, buscando que o próximo ano seja melhor. Em janeiro, mais uma temporada se inicia e com ela um novo ciclo emocionante para Cascavel.