Dom, chamado e vida real

Por Juliano Gazola 21/06/2022 - 18:33 hs

Existem algumas crenças em nossas vidas, que realmente precisam ser demolidas. Ainda que algumas sejam simpáticas e agradáveis. Parte do meu trabalho, em muitos momentos, passa por questionar as pessoas, para colocar em pratos limpos a história sobre o chamado do coração, o chamado para fazer o que você ama.

Meu objetivo aqui é questionar, fazê-lo pensar sobre este assunto, pois é percebido que esta história, têm desorientado e prejudicado algumas biografias. Qual o caminho correto da vida? Devemos permear entre 3 conexões importantes. O dom natural, o chamado e a circunstância. Estas conexões representam a forma completa, pois somente a forma completa, representa a vida humana, a vida adulta.

Tenho que te falar, não podemos virar as costas e sairmos livres perante esta atitude. É sábio buscar este entendimento, para não correr o risco de mirar os nossos olhos nos confins da terra. Pois a vontade do menor esforço e de fugir do trabalho árduo pode lhe contaminar.

Precisamos avaliar o peso de cada uma destas conexões da vida real, e na sequência, agir concretamente. Senão o fizermos, as nossas decisões poderão ser aleatórias, sem o mínimo de solidez para enfrentar a trama, a trama da vida, da sua vida.

Qual a importância de avaliar o seu dom natural, o seu chamado e a circunstância real da sua vida? Será que o seu chamado, aquele que você publica na rede social não é de fato, uma verdadeira fuga? Quanto difícil é, do fundo do seu coração você passar a amar a sua circunstância, ou melhor, não fugir dela?

Estou convicto que você já recebeu um e-mail, um anúncio nas redes sociais de cursos que lhe provocam para ir atrás do seu chamado, pois este, recebe o maior glamour dentre as 3 conexões.

Tipo aqueles slogans: “faça o que você ama, corra atrás do seu sonho”. Neste cenário, inúmeras palestras motivacionais e cursos estão na vitrine, custando milhares de reais. Você pode até sair motivadíssimo, mas, a verdade é que muitos saem sem rumo.

O abismo emocional é criado, quando você olha apenas para o chamado e atribuir a ele a importância máxima para sua direção de vida. Não se desdenha dos 3 elementos e, assim o fazendo, dará adeus a uma base sólida na vida. Se a palavra consistência tiver algum peso na sua vida, sugiro que você analise se de fato possui algum talento natural, de forma igual avalie se há um chamado do seu coração e, por fim, verifique a circunstância da sua vida, ou seja, onde você está instalado.

O dom natural, tipo aquela facilidade que você possui para fazer algo. Tipo mão boa para cozinhar, facilidade com números, o seu talento.

Algumas pessoas possuem um certo talento, mas o chamado não está alinhado com o talento; outras sentem o chamado rasgando no peito e não avaliam se para fazer aquilo possui algum talento. Poucos, realmente vivem a lua de mel entre o dom e o chamado.

Se você não é este afortunado, sugiro cravar bem os seus pés no chão e olhos bem abertos. Seu dom está te levando para cima ou te deixando paralisado? Creio que todos nós possuímos um dom, mas o transbordo ocorre com aquele que sabe o que fazer com ele.

Fixar sua mente no chamado, esnobando o dom e a circunstância da vida real pode fazê-lo pisar numa armadilha. Não negue o chão que pisa diariamente. Aquilo que você chama de obstáculo, para atender o seu chamado é, na verdade a circunstância. Os elementos limitadores de nossa vida é que nos ajudam a compor os traços do contorno de nossa biografia. Contudo, ela nos limita, mas não aprisiona. Você está limitado na forma humana, pelo tempo. Neste espaço você contorna sua vida. Ame a sua vida, não ter todas as possibilidades é fundamental para o seu amadurecimento.

- Juliano Gazola é fundador da Bioliderança no Brasil, business executive coach e reprogramador biológico