Para forçar Mendonça no STF, Bolsonaro reconduz Aras à PGR

Augusto Aras não levou a indicação ao Supremo, mas ficou com um prêmio de consolação

Por Canal Meio 21/07/2021 - 09:13 hs


Ontem Jair Bolsonaro recomendou ao Senado, a quem cabe a aprovação, que Aras seja reconduzido ao cargo de procurador-geral da República. Mais uma vez o presidente ignorou a lista tríplice elaborada pelos procuradores. Indicar um integrante da lista foi uma tradição inaugurada em 2003 no governo Lula e mantida por Dilma Rousseff e Michel Temer. (UOL)

De acordo com Bela Megale é um jogo tático do Planalto. Agora são dois nomes na fila da aprovação da Comissão de Constituição e Justiça do Senado. André Mendonça para o Supremo e Aras para a PGR. Alguns senadores desejam Aras no STF mas certamente não querem perdê-lo na PGR. Aprová-lo, tendo chegado depois na fila, poderia gerar constrangimento. O presidente da comissão, Davi Alcolumbre, está segurando a votação de Mendonça. Bolsonaro tenta forçar o voto. (Globo)

Continua a guerra de declarações entre Jair Bolsonaro e o vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos (PL-AM), em torno do fundo eleitoral. O presidente diz que o Congresso “extrapolou” ao estabelecer o fundo em R$ 5,7 bilhões, reafirma que vai vetá-lo e alega que, pela lei, o reajuste deveria seguir a inflação, o que levaria o fundo a cerca de R$ 2,2 bilhões. Já Ramos, responsabilizado por Bolsonaro pela aprovação, diz que está “na trincheira” contra o presidente e insiste que buscará aval para abrir, como interino, processo de impeachment. (Folha)

O governo de Angola rechaçou o lobby tentado pelo vice-presidente Hamilton Mourão em favor da Igreja Universal do Reino de Deus, que enfrenta uma rebelião de pastores locais e acusações de lavagem de dinheiro e fraude fiscal. Mourão queria que o presidente João Manoel Lourenço recebesse uma delegação de parlamentares brasileiros ligados à igreja de Edir Macedo, o que não foi aceito. A bancada evangélica cobra do governo Bolsonaro apoio à Universal na situação em Angola. Tentar apaziguar a Universal faz parte da tentativa, por Bolsonaro, de apaziguar o centrão. (Folha)

Por aqui, o deputado Ivan Valente (PSOL-SP) disse que vai acionar a PGR para apurar se Mourão cometeu crime de improbidade ao, numa viagem oficial e usando a força do cargo, interceder em favor de uma entidade privada. (Estadão)

Enquanto isso... Os padres Lino Allegri e Oliveira Braga Rodrigues foram incluídos no serviço de proteção do Ceará após serem hostilizados por bolsonaristas durante a realização de missas. (Globo)

Documentos encaminhados à Advocacia-Geral da União pela Precisa Medicamentos, intermediária na venda da Covaxin indiana ao Brasil, apresentam sinais de adulteração, como assinaturas e manchas de carimbos completamente iguais em mais de uma folha, cores diferentes numa mesma página e trechos encobertos. Em pelo menos dois documentos, nomes e endereços das empresas envolvidas estão escritos incorretamente. (CBN)

Os presidenciáveis tucanos ficaram de penas eriçadas com a entrevista do presidente do PSDB, Bruno Araújo, aos repórteres Gustavo Schmitt e Sérgio Roxo. Araújo disse de forma bem clara que o partido pode abrir mão da candidatura ao Planalto em favor da unidade do centro que a tendência seria que um candidato desse campo procurasse ocupar o espaço de Jair Bolsonaro na disputa. Para o público externo, o governador paulista João Doria disse que Araújo era sensato ao defender a unidade do centro, mas, nos bastidores, seus aliados acusam o presidente da sigla de estar, em conjunto com o deputado Aécio Neves (MG), tentando levar o partido para o centrão e para a órbita de Bolsonaro. No Twitter, o governador gaúcho Eduardo Leite disse não ter dúvida “de que o PSDB oferecerá candidatura forte eleitoralmente”. (Globo)

Cada um no seu canto, Bolsonaro e Lula atacaram a ideia de uma terceira via. Para o presidente, uma candidatura alternativa não vai “atrair a simpatia da população”. Já o petista diz que ela é “uma invenção de partidos que não têm candidato”. (Globo)

Assim como a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, Guilherme Boulos (PSOL) e Manuela D’Ávila (PCdoB) tiveram seus registros no SUS adulterados por um ataque hacker e constavam como mortos no sistema. O crime teria acontecido em 2019, mas as vítimas só descobriram ao tomarem a vacina contra Covid-19. Gleisi já conseguiu recuperar seu cadastro. (Poder360)

Meio em vídeo. No Conversas com o Meio desta semana, o professor Wilson Gomes, doutor em Filosofia e titular da Faculdade de Comunicação da UFBA, faz um panorama do cenário político do país. Da operação Lava Jato, do antipetismo até a ascensão do presidente Jair Bolsonaro e as ameaças de golpe de Estado. O Brasil tem conserto? Confira no YouTube.

O telefone do presidente francês Emmanuel Macron e de outros 13 chefes de Estado ou de governo estão entre os números potencialmente infectados com o spyware Pegasus, desenvolvido pela empresa israelense NSO. A lista com 50 mil pessoas que teriam sido grampeadas foi obtida pela Anistia Internacional e analisada por um consórcio de veículos de comunicação independentes. A NOS não reconhece a lista e diz que Macron não estava entre os alvos de seus clientes, embora não revele para quem licencia o programa. (Guardian)

Economia não é só a cotação do dólar. Quem é assinante Premium do Meio lê, todos os dias, uma editoria exclusiva de economia e fica sabendo quais são os temas quentes do momento. Assine o Premium e descubra que economia não é um bicho de sete cabeças.

 

Finanças em Dia

 

Viver na corda bamba é a realidade da maioria dos brasileiros. Isso que apontou pesquisa da Federação Brasileira de Bancos (Febraban). O Índice de Saúde Financeira do Brasileiro (I-SFB), alcançou uma pontuação média de 57, o que significa que boa parte tem contas equilibradas, mas não há espaço para erros. Do contrário, vem o endividamento. Poupar dinheiro, principalmente em meio a uma crise, é um processo. Exige disciplina e constância até que se torne um hábito. Mas são muitas as vantagens: além de ter um dinheiro extra para eventuais emergências, também significa mais controle e autonomia sobre seus gastos e recursos, tornando muito mais fácil alcançar suas metas. Saiba como guardar dinheiro.

Geladeira, chuveiro, aquecedor e ar-condicionado. A conta de luz está mais cara e esses são os vilões nos lares brasileiros, que passaram a pesar ainda mais no orçamento após o aumento da bandeira tarifária vermelha para patamar 2. Para reduzir os gastos, veja simulações de consumo por aparelho elétrico. (G1)

Controle de gastos, segurança financeira e metas alcançadas são algumas das vantagens trazidas pela educação financeira. Hoje, com diversas plataformas e conteúdos digitais, gerenciar o dinheiro ficou ainda mais fácil. Então, cinco cursos gratuitos do Banco Central para melhorar sua relação com o dinheiro. Confira. (IstoÉ Dinheiro)

 

 

Viver

 

Nesta terça-feira o Brasil completou seu maior período de queda na média móvel de mortes por Covid-19 desde o início da pandemia: 24 dias. Com os 1.425 óbitos ontem, a média ficou em 1.197 – ela já havia ficado abaixo de 1.200 no sábado, mas o estado de São Paulo, o mais populoso da União, não havia computado seus dados. Ao todo, 544.302 pessoas perderam a vida desde o início da pandemia. (G1)

Mônica Bergamo: “O Brasil soma ao menos 122 casos da variante delta do coronavírus nesta terça-feira, de acordo com o Ministério da Saúde. Entre eles, foram contabilizados pela pasta cinco óbitos em decorrência da nova cepa —um no Maranhão e quatro no Paraná.” (Folha)

O Ministério da Saúde vai enviar doses extras de vacinas para estados que fazem fronteira com outros países. A ideia é criar um cordão sanitário que dificulte a entrada no Brasil de novas variantes do Sars-Cov-2. (UOL)

E a tragédia na esteira da Covid-19 não para de se desdobrar. Segundo estudo publicado na revista científica The Lancet1,5 milhão de crianças em todo o mundo perderam ao menos um responsável, fosse pai, mãe, avós ou outros. No Brasil, o número estimado de órfãos do coronavírus passa de 130 mil. (Globo)

Meio em vídeo. Depois de mais de um ano de pandemia no Brasil, a perda de mais 500 mil pessoas pela Covid-19 e a crise política e social, o desgaste mental da população fica cada vez mais evidente no dia a dia. No episódio de Pedro+Cora desta semana, os jornalistas desabafam: estamos ficando mais tristes? Confira no YouTube.

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, ocupou uma cadeia nacional de TV para conclamar alunos a retornarem às aulas presenciais, embora, como admitiu, o MEC não tenha ingerência sobre essa decisão. Ribeiro disse que “o Brasil não pode continuar com as escolas fechadas gerando impacto negativo nestas e nas futuras gerações” e que “a vacinação de toda a comunidade escolar não pode ser condição para a reabertura das escolas”. (G1)

Foi um sucesso absoluto o primeiro voo com passageiros de uma nave da empresa Blue Origin, levando a bordo Jeff Bezos, dono da companhia e da Amazon (entre outras), o irmão dele e mais dois convidados. Durante 11 minutos, a cápsula suborbital New Sheppard subiu até o limite do espaço com um foguete reutilizável e desceu de paraquedas, proporcionando a seus ocupantes a sensação de liberdade da gravidade terrestre. O feito de Bezos, dias após Richard Branson, dono da Virgin Galactic, também fazer um voo suborbital numa nave própria, mostra que o turismo espacial pode ser a nova diversão dos muito ricos. (CNN Brasil)

O passeio bilionário de Bezos, é verdade, reacendeu as críticas ao tratamento não raro desumano a que suas empresas submetem os funcionários. A Amazon desconta dos salários a meia hora de almoço e qualquer outro intervalo, com registro de trabalhadores urinando em garrafas por não serem autorizados a parar para ir ao banheiro. (Estadão)

Sensacionalista (#humor): “Bezos passa 10 minutos no espaço e volta antes de acabar intervalo de almoço de funcionários da Amazon.” (Twitter)

O Brasil começou com pé direito os Jogos Olímpicos de Tóquio. A seleção feminina de futebol venceu a China por 5 a 0. Mas o jogo não foi fácil como sugere o placar. A goleira Bárbara trabalhou muito. (UOL)

 

 

Cultura

 

Ainda vivendo as agruras provocadas pela pandemia, com fechamento de cinemas e salas de espetáculos, o setor de cultura precisa enfrentar uma guerra ideológica por recursos. De um lado, o secretário especial de Cultura, Mário Frias, e seu braço direito, o ex-PM André Porciúncula, patrocinam a redução no número de projetos beneficiados pela Lei Rouanet e combatem a Lei Paulo Gustavo, que prevê repasse de R$ 4,2 bilhões de recursos já aprovados para estado e municípios investirem em Cultura. De outro, profissionais da cultura lembram que esses recursos já existem e que o objetivo da lei é destravá-los. (Globo)

Não foi a escola, e sim a guerra que tornou Eric Hobsbawm historiador, como revela a biografia Eric Hobsbawm - Uma Vida na História, de Richard Evans. Britânico por ter nascido no protetorado do Egito, em 1917, cresceu na Áustria e na Alemanha e, órfão, foi levado para Londres pelos tios logo após a subida de Hitler ao poder. Esse êxodo despertou no jovem o interesse pelo mundo. Comunista desde jovem, via na América Latina o terreno para a revolução e tinha um profundo amor pelo Brasil. Segundo seu biógrafo, era recíproco. (Folha)

 

 

Cotidiano Digital

 

Muito além das coreografias divertidas, o TikTok tem se tornado um novo espaço de teorias conspiratórias e desinformação. Os conteúdos recebem uma roupagem “teen” de seus usuários, como de que J. K. Rowling não escreveu os livros Harry Potter. Mas também há vídeos com temas mais sérios com desinformações sobre vacinação contra a Covid-19 e rede 5G. O TikTok tem tentado barrar — fez parcerias com agências de checagem e lançou uma etiqueta que avisa os usuários sobre conteúdos potencialmente enganosos. Mesmo assim, vídeos desse tipo continuam dominando a aba de recomendação de alguns usuários. (G1)